PLANETA LUA


18/03/2006


Vegetarianismo e amor aos animais

 

Este texto faz parte de uma consulta em uma comunidade do Orkut em que pessoas que amam os animais, defendiam seus pontos de vista entre serem vegetarianos ou não... Achei interessante e desejei traze-la para cá.... defendo o ponto de vista dos que amam os animais e escolheram ser vegetarianos.

"Fico feliz em ver tanta gente que ama os animais. Crescimento é assim, sempre nos incomodamos uns aos outros um pouco...
Sou vegetariana, e como vocês, defensora dos animais... E entendo perfeitamente a luta pela sobrevivência dos nossos antepassados, e por exemplo, o que a caça representa para a cultura de alguns povos, até hoje, especialmente alguns povos nativos/indígenas... Sobrevivênvia, pura e simples.
O que acho que incomoda aqueles que optaram por não comerem carne, não pelo aspecto saudável ou não da questão, mas sim por acharem isso mais ético e de acordo com suas crenças pessoais sobre a tortura dos animais, é que hoje em dia, para se comer carne, não existe como ir em uma pradaria e se derrubar um único búfalo, ou sacrificar (uso a palavra derivada de sacrifício, por que é sacrifício que os animais fazem pelas vidas humanas) um boi, galinha, etc no pasto para alimentar sua família... O que perturba e dói nos vegetarianos, é a forma cruel, dolorosa, desumana, em que os animais são criados, confinados, e por fim mortos para nos alimentar... E estamos falando de milhares de animais sacrificados todos os dias, de forma cruel e desumana.
Amigos, vejo que todos nós amamos os animais... Vejo que estamos na mesma Causa.
Quero compartilhar uma experiência familiar recente.

Minha família, é formada por pessoas que amam e respeitam os animais. Que se opõem a crueldade contra eles em todas suas formas. Mas somente dois membros desta grande família, eram vegetarianos, até o inicio do mês de janeiro deste ano, quando um desses membros trouxe em uma visita familiar, o DVD feito pelo insituto Nina Rosa e que se chama “A carne é fraca”. Este filme marcante, procura tratar a questão da alimentação sem o uso de carne de animais, em dois aspectos: A questão econômica, mostrando que os recursos para a criação e abate de animais são caríssimos, e que é muito mais barato plantar cereais, e horti-fruti, e que o problema da fome do mundo e da preservação de grandes reservas seria solucionado assim. O outro aspecto é da maneira cruel e dolorosa em que os animais são confinados, criados, e por fim abatidos para que possamos nos alimentar de carne e consumir ovos e leite em grande escala. Não é a vaca repartindo um pouco do seu leite com uma família. É um animal criado da forma mais desumana possível, sofrendo as piores crueldades, para que no supermercado tenha leite ( isso somente para uma camada da população). O filme é chocante. Mexeu profundamente com o coração e consciência da minha querida família – e estou me referindo a minha mãe, irmãos, cunhadas, cunhados e sobrinhos - que ama tanto os animais, mas não tinham consciência que estavam colaborando para essa crueldade... Não sabiam como é o dia a dia de um animal confinado em um pequeno espaço toda sua vida, sem conviver com outros animais, sem poder buscar e escolher seu próprio alimento, para por fim, ser abatido da maneira mais cruel possível. Só vendo para acreditar que estamos tão embrutecidos a ponto de permitir ou fazer tamanha crueldade, absolutamente desnecessária para nossa sobrevivência nos dias atuais.

Minha mãe, D. Aurila, jamais imaginou um dia tornar-se vegetariana. Ela tem hoje 76 anos. Mas, também jamais imaginou o quanto custava de sofrimento para milhares de animais, o seu alimento. Não era mais como quando era criança na fazenda. Não parecia nada com o que tinha na sua mente ou lembrança... Depois do filme, D. Aurila anunciou, a partir daquele momento náo ia mais colaborar para o sofrimento daqueles animais. Era vegetariana.  Com a mesma animação que fez e enfrentou todos os desafios, ela se lançou a aprender receitas vegetarianas, deliciosas receitas. Meus irmãos, seus filhos, casados e com filhos, se animaram, e foram conhecer esse novo universo. Assim, por amor aos animais, nasce uma nova família de vegetarianos. Para não compactuar.
Amigos, eu sugiro que todos aqueles que amam sinceramente os animais, mas que com certeza não tem idéia do que se passa dentro de um criame, uma granja, uma fazenda de gado, e especialmente um abatedouro, procurem informar-se, assistindo filmes como esse do instituto Nina Rosa ou outros que se prestam ao mesmo fim, e se possível, indo visitar pessoalmente um abatedouro. Tenho certeza do amor da cada um. E tenho certeza que irão concordar que é preciso parar imediatamente com tamanha crueldade. Com tanta dor.
Um beijo a todos vocês que amam os animais, vegetarianos ou não. Que essa Causa seja vencedora.

Escrito por Lua, filha do Sol às 00h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Centro-Oeste, CAMPO GRANDE, Mulher

Histórico